terça-feira, 14 de agosto de 2007

Futebol dos Artistas - II


Sérgio Abreu: alongamento antes da partida. Foto: Juliana S. Duarte

Disparado no ibope da Rede Globo, Sérgio Abreu fez parecido em Criciúma: disparou o coração das carvoeiras.
O ator que interpreta o homossexual Thiago na novela 'Paraíso Tropical', voltou a cidade com a mesma simpatia que encontrei, há alguns anos atrás.
Sempre sorrindo e fazendo brincadeiras, Sérgio soube acolher muito bem a todos que estavam ao seu redor, e num bate papo super descontraído comigo, falou sobre o evento e principalmente sobre o seu personagem, que vem fazendo sucesso, e mudando o conceito do homossexualismo no Brasil:

J: E aí Sérgio, o que achou do jogo hoje?
S: Foi legal, foi legal. Claro que a gente sabe que o time local era de pessoas conhecidas, que jogam toda semana e tal... Isso acaba influenciando mas mesmo assim, foi maneiro.
J: Mas assistindo o jogo, acho que vocês conseguiram passar uma coisa boa pra toda 'platéia'. Pareciam estar bem a vontades, valeu a brincadeira?
S: Ah, com certeza! Conseguimos fazer um jogo legal sim. O pessoal foi muito receptivo, valeu a pena.
J: E a organização? Não acha que foi pouco divulgado ou que as mudanças na escalação acabaram prejudicando o evento?
S: É complicado. Infelizmente uma semana é pouco mesmo, mas quanto as mudanças não temos muito o que fazer. A gente nunca sabe onde vai estar, se fosse a 15 dias atrás eu não estaria aqui, por exemplo. E assim é com todos os artistas presentes, é muito difícil você confirmar presença num evento como esse, antecipadamente.
J: E da festa, o que ta achando?
S: Estou adorando! A gente sente uma coisa boa, o pessoal daqui é muito bacana.
J: E você agora esta interpretando um homossexual na novela de maior audiência da Rede Globo, como esta sendo essa experiência?
S: Muuuito maneira! Estamos conseguindo passar algo diferente dos outros casais homossexuais já interpretados na TV.
J: Vocês parece ter conquistado o publico e quebrado alguns tabus, você relaciona isso a que?
S: Acho que é exatamente isso. As pessoas estão enxergando os homossexuais com outros olhos. Mudou um pouco a idéia tradicional e preconceituosa. Eu tenho amigos gays que são assim, nada espalhafatosos. Aquela coisa de tudo muito colorido ou querendo chamar atenção, sabe? Acho que isso já era, as pessoas estão vendo que não é bem assim, eles podem ser discretos também.
J: Com certeza, não existe todo aquele burburinho em relação aos personagens, pelo contrário, existe uma admiração.
S: Acho que o 'Gilberto' conseguiu exatamente o que queria. Fazer de um casal gay, algo comum. Até porque lidar com isso é complicado, a gente sabe. Envolve toda uma questão de idade, família, sociedade... É fato, existe e tem que ser mostrado de todas as formas. Acho que ele esta conseguindo transmitir algo que nunca foi visto: um casal gay, no horário nobre que conquista cada vez mais pessoas.
J: E o publico homossexual?
S: Ah é ótimo, né? Até eles estão mais à-vontades. A gente sabe de homossexuais que acabaram ficando aliviados ao ver que existe sim uma aceitação, e passaram a tornar pública essa opção. E também de outras pessoas que passaram a aceitar, por ver que é algo natural. Que um casal de gays pode ser tão comum, e é, quanto um casal de ‘heteros’. É muito gratificante.
J: Sérgio, muito obrigada. Sucesso pra você e boa festa!
S: Eu que agradeço, e boa festa também!

E assim (morram de inveja meninas), com um abraço carinhoso e um beijo, me despedi do galã que demonstrou ter um senso de humor ímpar, um amor pelo trabalho e principalmente, uma inteligência tamanha!
Beijos, e até a próxima!

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Klebber Toledo: simpatia e carisma!
Foto: Luciana S. Duarte


Sabe quando da vontade de levar alguém na bolsa?
Pois é, sábado foi assim. Nada de estrelato ou antipatia, Klebber Toledo surpreendeu.
No começo, meio de canto, me deixou com medo das perguntas, confesso. Mas durou pouco, e em minutos o sorriso do jovem ator que interpreta Mateus Molina em Malhação, foi o suficiente pra transformar o que seria uma entrevista, em um bate papo informal, com todas as informações necessárias.

O galã do seriado não deixou a desejar no quesito simpatia, mas foi logo avisando que o futebol não é muito a sua área:
- Joguei muito pouco, sou péssimo no futebol.
E quanto a organização, não calou na hora da critica:
- É complicado. Um semana de divulgação é muito pouco, e cada artista tem um publico alvo diferente, tudo isso influencia na hora do evento. Com as mudanças na escalação, muita gente acaba desistindo de ir por não ver o seu ídolo em campo.
Mas quando a pergunta foi sobre o jogo...:
- Foi legal, mas o nosso time não estava entrosado. Faltou muito isso.
Klebber também fez elogios a casa noturna, e ficou impressionado com a vista do conhecido Diretório:
- Nem tinha percebido, é a cidade inteira mesmo, né?
E também fez uma reclamação:
- Cara, aqui é muito frio! Muito frio mesmo! Estou muito cansado, mas adorando tudo.

Trabalho a parte, tenho que admitir que é impossível não se apaixonar pelo carisma do ator, que mesmo com todo fervor do inicio de carreira, não deixou a simplicidade de lado, e diferente de alguns companheiros de trabalho, foi muito atencioso com as fãs durante a partida, e circulou livre, leve e solto na balada, distribuindo sorrisos, simpatia e cativando a todos.
Parabéns, Klebber!