quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Sai, socí

Sentei naquela mesa regada a champa do bom, comidas boas e assuntos chatos: quem é, de onde vem, porque, filho de quem etc e tal. Mas eu tentei parecer simpática e respondi educadamente, com um leve sorriso e uma vontadezinha (controlável) de socar a mesa. Fiquei observando toda aquela gente que atropela a fala dos outros, e lembrei como é bom ter dois ouvidos. Esse faz isso, aquela vive daquilo, e em momento algum perguntam se a ocupação daqueles seres me interessava. Mas eu aceitei a cadeirinha. Eu sorri pra ser simpática, e agora é meu dever encontrar uma diversão naquela mesa de egos inflados. Eis que surge então aquela que se tornaria minha melhor amiga: a conta. Tive a sensação de que uma bomba ia explodir naquela mesa, e vi naquele pedacinho de papel um ataque terrorista. Evacuaram o local e deixaram só o barulhinho das moedas. De gorjeta pro garçom apenas uns flyers da próxima festa. Fiquei com vontade de perguntar onde estava toda a educação daquela fina flor. Estaria falida a tão conhecida 'finesse' da cidade? E pra terminar, quem não bebeu deveria pagar o couvert artistico. É mole?
A bolsa da fulana custou 6 mil reais. A calça daquele chatinho é exclusiva, e aquele pinico que chamam de chapéu veio da Europa. Alguém sabe quanto custa ter o nome limpo e saber falar baixo?
Entrei no meu carro que de importado não tem nada, mas ta pago. Mandei umas mensagens sem medo da conta telefônica, e respirei aliviada por ter acabado mais uma noite de badalação social. Com exceção de alguns, continuo preferindo a companhia de gente que não sai no jornal, come X-salada e principalmente, paga a conta!

13 comentários:

Gabriela Rosso disse...

"a burguesia FEDE" Cmo diria nosso amigo CASUSA dona Juliana!!!

Qm menos tem é o que mais quer parecerqe tem, entedeu?!!uhauhahu

Beijoss

Cris Placido disse...

Adoroooooooooo!!
Não tirou palavras de minha boca porque eu não me expressaria tão bem, mas falou exatamente o que penso!

Scheila Sassaki disse...

Texto MARA, gente podre!
Tirando você, pode jogar tuuuuuuuuuuuudo na fuguêra!!

Verlaine disse...

Típica petralha, como diria Reinaldo Azevedo.

Se prefere um X-salada com gente que não sai no jornal, por que foi ao lugar errado? Para reclamar?

Se a bolsa da fulana custa 6 mil reais, mérito dela que muito provavelmente deu muito duro para comprar. O mesmo quanto ao pinico que chamam de chapéu que veio da Europa.

E outra coisa, você bebeu do bom e comeu do melhor e reclama da conta?
Oras, se queria pagar pouco, mais um motivo para ter ido visitar o Jorginho Lanches ao revés do citado lugar.

Resumindo: Típica patricinha com crise de identidade que não sabe o que quer.

Olha, imagino que não seja bem-vindo nesse blog. Legal! Mas pelo menos não escrevo "fuguêra" que nem sua amiguinha Scheila Sassaki; e foi você quem disse que odeia homens que não sabem usar a língua portuguesa.

Só por curiosidade, apesar de usar muito bem a língua portuguesa, sim, uso muito mal a outra...

Mas enfim, adorei desconstruir seu texto.

Wilson disse...

Muito bom o texto !!!
Não falou nada mais do que a verdade.

Scheila Sassaki disse...

Tem gente que não tem noção mesmo, eu falo fuguêra ou fogueira do jeito que me der vontade, Honey!
Se não sabe brincar, não entra na roda. ;)

E gosto é igual nariz, cada um tem o seu, se não gosta dos textos da Ju, não perca seu tempo vindo aqui lê-los..

;* muã

Rê Valentim disse...

Putaqueopariuuuuuuuuuuuuuuuuu(desculpa o palavrão) mas é q tu mandou muito bem no texto Juuu!!

Eh bem o q eu pensoo...e aqui na nossa querida cidade, isso aih é o q mais tem neh?!!

Boráá toma uma gelaada e comer um super X egg??!!
Juro q pago a conta!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


BeeeeeeijaO

┼૭ર┼ચgąş ♂ disse...

Sempre foi e sempre será assim o nosso povo, qm mais qr mostrar eh qm menos tem!!
E eh isso ai Ju e sassaki!!
se n qr brincar n entre na roda!!!
;)

Verlaine disse...

´´Tem gente que não tem noção mesmo (fim de período. Deveria haver um ponto final, filhinha), eu falo fuguêra ou fogueira do jeito que me der vontade, Honey!
Se não sabe brincar, não entra na roda``.

Nesse ponto você tem razão. O dialeto é seu e você utiliza como quiser.
Mas discordo da falta de noção. Eu escrevo a lingua (sem trema agora) oficial da República. Eu acho que estou bem orientado nesse caso.

Mas quem está de brincadeira é você. A Juliana está se iniciando como jornalista, e nessas horas em que ela precisa de apoio, você me manda um comentário escrevendo ´´fugêra`` ?

Fico imaginado na redação do jornal: Essa Juliana escreve bem. Tem um texto que flui; bem articulado; carismático; tem o português em dia. Mas os leitores...
Tadinha.

Verlaine disse...

E antes que venham me pertubar, sim, língua tem um acento agudo, que por mero erro de digitação esqueci.

Veja bem, erro de digitação. Não de intelecto...

Scheila disse...

pertubar não existe, benzinho, é pertuRbar. ;*

Bibo disse...

Parabéns Ju, textos bem escritos.

Gostei do blog ;*

Lílian de Vasconcellos Cavalcanti disse...

Ju,
Adorei seu blog! Parabéns pelos textos bem escritos, inteligentes e verdadeiros, o que, infelizmente, incomoda muita gente daquela raça quase em extinção, os homens. kkkkkkkk. Bjks e continue assim.